OS AUTORES

Nuno Baltazar

Nuno Baltazar nasce a 5 de Janeiro de 1976 em Lisboa. É formado em Design de Moda pelo Citex em 98. Durante o seu percurso académico vence vários prémios como o “Jovens Criadores” em 95 e 96 e “Porto Moda” em 97. Passa a integrar em 99 o calendário de desfiles nacionais da “ModaLisboa”.
 Em Maio de 2005 inaugura a sua primeira loja no Porto como extensão do seu trabalho em atelier, onde estão disponíveis as suas colecções de pronto-a-vestir.
 O seu trabalho estende-se, para além das suas colecções, à criação de peças únicas em atelier com a etiqueta Nuno Baltazar Atelier, com destaque para a apresentadora e actriz Catarina Furtado, a maestrina Joana Carneiro e ainda em colaborações pontuais para música, cinema, teatro e dança.
 Paralelamente o seu gabinete criativo desenvolve vários projectos de fardamentos (Hotéis Ibis - Portugal, Hotel&SPA Aquafalls, Casino da Póvoa, Cafés Tenco e EDP).
Em 2009 lança em parceria com o arquitecto Vitor Almeida a “Baltazar | MAP” - Linha de Mobiliário e Iluminação. 2010 e 2011 têm sido anos de internacionalização da Baltazar | MAP com a presença em feiras em Milão, Londres, Paris e Abu Dabhi.
 Em 2011 vence o concurso para o novo projecto de fardamentos dos funcionários EDP.
Nomeado para prémios de melhor designer do ano em 2008 e 2010, Globos de Ouro em 2010 e 2012 nos Fashion Awards da Fashion TV Portugal. Em 2011 vence o prémio melhor criador de moda nos Fashion Awards da Fashion TV. 
Em 2012 lança a primeira colecção da nova linha de Eyewear Nuno Baltazar.
Vence em 2013 o prémio Globo de Ouro – Melhor Estilista Nos Globos de Ouro – SIC.

NOME DA PEÇA

TÁGIDE

Edição limitada a 10 exemplares

Para a peça comemorativa dos 140 anos da Topázio decidi ter como ponto de partida as Tágides, figuras mitológicas a quem Camões pede inspiração para compor a sua obra “Os Lusíadas”. O candelabro “TÁGIDE” é a celebração do feminino, forte mas emocional, frágil, romântico e provocador. 
Sobre uma base românica, recuperei “braços” icónicos do arquivo Topázio e trabalhei-os com dramatismo numa provocatória alusão ao fascinante e labiríntico universo feminino. O resultado é uma peça envolvente e sedutora que não deixa ninguém indiferente.

- Nuno Baltazar